Ano de 2020 – Arquétipo do Juízo no taro

APara escrever sobre esse complexo ano de 2020 = 4, gostaria de iniciar descrevendo um pouco sobre o arquétipo 20 do taro, O Juízo, porque teremos a vibração 20 duas vezes.

No plano mental pode nos ajudar a alcançar grandes coisas ou realizar transformações, desde que o Ser, de forma individualizada, seja capaz de realizar juízos de si mesmo, das situações e das relações. O sentido mais profundo está relacionado em avaliar o Ser Humano através de seu estado mental. Devemos meditar sobre a aceitação do Eu Sou, interconectando passado e futuro como a mesma coisa. A compreensão sobre si mesmo oferecerá a compreensão de toda manifestação e de todas as situações vivenciadas, sem os véus de Maia, que nos prende ao passado e bloqueia o futuro, impedindo de viver o que realmente importa, que é o presente.

Este arcano representa um ciclo iniciático que realizamos. O dia do Juízo coincide com o dia que conseguimos compreender e amar a Criação, despertando a Consciência para uma nova filosofia de Vida, com uma grande renovação, ressurreição ou renascer. O despertar para uma nova filosofia de vida, implica em uma nova renovação interior. A transformação deve ser completa, para renascer com uma nova consciência, abrindo-se uma nova perspectiva de vida com mais possibilidades.

O Ego, o Eu materialista, deve ser libertado, para poder ver com claridade a cadeia de causas e efeitos, compreendendo as causas que formaram sua parte cármica.

Esse será um momento de retornar, no caso de ser necessário, às experiências vitais para aperfeiçoar a própria evolução.

Indica também acontecimentos repentinos que nos fará ver as coisas de diferentes formas e maneiras, obrigando-nos a tomar decisões cruciais em nossas vidas, de forma inesperada, como mudanças de lugar, trabalho, relações ou perspectivas. São decisões cruciais para escolher uma determinada direção, marcando assim, uma nova etapa de vida. A dualidade estará presente (temos a vibração do número dois duas vezes). Estaremos diante de uma bifurcação no Caminho. Qual Caminho escolher? Voltar a repetir os mesmos padrões de um passado que passou ou iniciar uma nova etapa, por um sendeiro diferente? Precisaremos pensar e repensar pelos quatro lados da mesma situação.

Escolha bem a “equipagem” que levará consigo neste novo momento. Faça um balanço de consciência sincero e profundo. Esse é o momento de fazer um juízo sobre si mesmo, reconhecendo as conquistas e as provas superadas, os conhecimentos adquiridos e o que ainda não for absorvido.

As experiências que vivemos e como as vivenciamos, mostram nossa pessoa, mas recorde-se que estamos em contínua evolução, nunca somos os mesmos, apesar de tudo que já passamos.

Continuamente estamos nos convertendo em seres diferentes, as vezes evoluindo para frente, e as vezes dando voltas, andando em círculos.

Helena Gerenstadt

Por favor siga e como nós:
20

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *